terça-feira, 4 de novembro de 2008

conto inédito - Nudez

(Como prometido, segue abaixo um conto inédito. Comentem!)

Nudez

por Luciana Pinsky

Peça por peça você foi tirando. Aos poucos. Devagar. Era inverno, eu de casaco, o casaco se foi. A malha, vermelha. Fora. Meia calça de lã. Preta. Foi-se. E a saia verde escura. No sofá. Você tirava e eu deixava. A blusa, colada. Chão. Até o momento em que só as peças íntimas sobraram. Quinze graus, mas eu não tinha frio. Você pedia, eu fazia. Você mesmo não tirava sua roupa. Calça, camisa. Eu cada vez mais nua. Um tanto que nem imaginava um dia ficar, sem pudor, na varanda de casa. E você pediu para eu dar uma volta. Dei. Não aqui: uma volta na rua. Rua? Até a padaria. E eu fui. Daquele jeito. Mais nua impossível. Apenas com chinelo de dedo e protetor solar no rosto, recomendação da dermatologista mesmo no frio. Ainda tentei um chapéu, mas você disse que não, que iria estragar tudo. E eu fui. As pessoas me olhavam. Umas riam. Outras desviavam a vista. Outras, ainda, ensaiavam falar comigo. Mas eu andava rápido, decidida, desafiante, e ninguém me parou. Comprei o pão e o leite que me pediu e voltei. Você não estava lá. E eu, nua, com a sacola de pão e leite na mão. Percebi-me nua com a sacola de pão e leite na mão.

13 comentários:

Leonardo Araujo disse...

Belo conto Luciana. Adoro contos que apresentam romance e sensualidade. Eu mesmo tenho um assim, se tiver um tempo, leia aqui www.leonaraujo.com resolvi postar hoje. Parabéns! Bj

Rodolpho Arruda disse...

Caramba! Pra onde o cara foi? Justo na hora do "lanche"?

bjs

Um certo caminho... disse...

interessante

roger.ferreira disse...

Lindo, sensível, é luciana em estado puro. Parabéns pelo blog, uma bela iniciativa.

rodolfo carvalho disse...

Very, very cool!

valéria disse...

deu um vazio danado ler esse seu conto...nossa, vc mandou bem!

La toulousaine disse...

Lu, querida, tinha lido o conto ontem. Mas não soube o que dizer. Talvez tenha me visto eu mesma nua. Agora reli e vi um dos comentários dizendo que a leitura provocou um vazio. Acho que é isso. E, no meu caso, além de nua e vazia, fiquei também em silêncio.

Rafael Belo disse...

Belo conto! Nudez, pureza... Espero ler mais beijos

Valéria Martins disse...

Hahaha... Adorei a nudez. Pena que ele não estava lá quando ela voltou. Que solidão!

FABIANA BORGIA disse...

Oi, Luciana. Muito obrigada pelo recadinho no meu blog. Espero que goste do livro.
E por falar em gostar, adorei o conto. Super original! Há vezes em que nos despimos tanto, nos doamos tanto, que nem sabemos que estamos nus desta forma...Enfim, ótimo. Dá margem a várias interpretações. Bjs

Pollyana Ferrari disse...

A sensação de vazio é muito forte quando terminamos de ler. Vi que outros sentiram a mesma coisa. Adorei o conto! O blog está indo super bem, suspeito que ele continue muito forte e vivo depois do dia 03.

bj

kelly disse...

o vazio.
o pão, o leite, tudo na mão.
as oportunidades. e o vazio.

Nori disse...

Oi, Luciana! Muito bom o blog e melhor ainda o seu conto. VC manda muito bem. Parabéns e abraços.
Maurício Noriega