quarta-feira, 26 de novembro de 2014


O confronto

De um lado Márcio. Ele provavelmente tinha sonhos. Queria estudar, ser veterinário, trabalhar com cachorros e gatinhos. Mas mal e mal terminou o ensino médio.  O professor de Biologia – sua matéria preferida -, raramente aparecia e quando vinha era uma ladainha de nome sem explicação. Olhava a sala com desprezo e se Márcio ousasse uma pergunta era logo desencorajado. Assim, Márcio foi se calando e antes que a vida de adulto começasse desistiu da vida com que sonhara. Teria o que desse, do jeito que desse. Mas ia ter troca, ah ia. Virou atendente da Eletropaulo.

Do outro lado, eu. Sem luz há exatas oito horas – depois de ter psicado e ameaçado acabar no início da noite, ela se foi de vez às 23h. Às 7h a energia permanece tão distante quanto em uma praia perdida em que a geladeira é movida a diesel. Exceto que estou na rica, desenvolvida São Paulo. Cidade que não tem água e quando chega água em forma de chuva, fico sem luz. Afinal, tudo não dá como dizia a tia do meu pai.

E lá vou eu enfrentar o Márcio.
- Sim.
- Estou sem luz há 7 horas, gostaria de saber o que aconteceu.
- Essa informação não tenho, senhora.
- ... E quando a luz vai voltar.
- Essa informação não tenho, senhora.
- Mas que informações você tem, Márcio?
- As que a senhora me passar: endereço, telefone de contato, número de instalação etc. etc. etc.
- Mas, Márcio, você não pode me dizer nada? Tenho criança pequena, moro em andar alto.
- Posso. O número do protocolo é 380557620.
- Mas o que faço com esse número se você não me deu informação alguma? Quando a equipe vem consertar? O que está acontecendo?
- Mas, senhora, o que a senhora quer que eu faça? Não sou o superman da Eletropaulo.
É serio. Márcio, aquele garoto tímido da classe de Biologia me disse isso. Por que o consumidor tem de ser necessariamente tratado como lixo? Eu achava que não estava pedindo muito, só luz. Márcio se vingou de uma vida de frustrações. A Eletropaulo lava suas mãos (com água da chuva, claro). Perdemos todos.

(26/11/2014)

Um comentário:

Rafael Belo disse...

Que bom seu retorno ao blog! TUdo Bem? As singelezas minando o cotidiano... Do Paulistano. :D